Paulo Afonso, 10 de agosto de 2022

Saúde

Varíola dos macacos: Brasil confirma primeiro caso em São Paulo

O Brasil confirmou o primeiro caso de varíola dos macacos no município de São Paulo. O paciente é um homem de 41 anos que voltou de uma viagem à Espanha. Ele está em isolamento no Hospital Emílio Ribas. As informações são da TV Globo.

A prefeitura da capital paulista investiga outro caso suspeito. Uma mulher de 26 anos sem histórico de viagem recente e de contato com pessoas infectadas, segundo apuração da TV Globo.

País tem outros sete casos suspeitos: dois em Santa Catarina; dois em Rondônia; um no Ceará; um no Rio Grande do Sul; e um no Mato Grosso do Sul. Um outro caso já foi descartado no Ceará.

Até o momento, segundo as autoridades brasileiras, existe aumento de casos confirmados em pelo menos 31 países. O número está em 1.077 casos, sendo a maior parte em países onde a doença é endêmica, localizados no continente africano.

O que sabemos sobre a doença

Como é transmitida?

– Principalmente por meio de grandes gotículas respiratórias. Como as gotículas não podem viajar muito, é necessário um contato pessoal prolongado;

– Fluidos corporais, contato com alguma lesão ou contato indireto com o material da lesão;

– Por meio da mordida de animais que carregam o vírus ou consumo destes.

Como se prevenir?

– Evitando contato com pessoas com caso suspeito e objetos que essas pessoas tenha usado, bem como com animais que possam estar doentes;- Uso de máscara de proteção e o distanciamento.

Quais os principais sintomas?

– A doença tem período de incubação pode variar de 5 a 21 dias;

– O estágio febril da doença geralmente dura de 1 a 3 dias (febre, dor de cabeça intensa, inchaço dos gânglios linfáticos, dor nas costas, dor muscular e falta de energia);

– O estágio de erupção cutânea, com duração de 2 a 4 semanas (lesões evoluem de máculas — lesões com base plana — para pápulas — lesões dolorosas firmes elevadas).

Qual a gravidade da varíola dos macacos?

– Além de transmissão menor, a letalidade da varíola dos macacos também é bem menor em comparação à varíola humana. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a taxa de mortalidade da doença surgida mais recentemente é de 3% a 6%. A mortalidade da varíola humana chegava a 30%, conforme o órgão.

– Em geral, os pacientes tomam remédios apenas para tratar os sintomas como dor de cabeça e febre. Casos mais graves podem ocorrer em gestantes, idosos, crianças e pessoas que têm doenças que diminuem a imunidade.

Existem vacinas disponíveis que protegem contra a doença?

– As vacinas contra varíola comum (humana) protegem também contra a varíola dos macacos. Com a erradicação da doença no mundo, em 1980, a vacina deixou de ser aplicada. Pessoas que foram vacinadas há mais de 40 anos contra a varíola humana ainda podem ter alguma proteção;

– Ainda não há recomendação para a vacinação em massa. E não há vacinas disponíveis no mercado neste momento. Se houver surto ou grande frequência de casos, pode ser necessário acionar a indústria para essa produção. (Com agências).

Fonte O Povo

Os comentários não representam a opinião do Tribuna Mulungu. A responsabilidade é do autor da mensagem.

Veja também

Relacionado Posts