Paulo Afonso, 22 de maio de 2024

Política

Reinaldo Azevedo revela conversas de procuradores que desmentem fala de Moro no senado

Abalando a república há duas semanas

Desde o dia 09 junho, The Intercept Brasil vem publicando uma série de reportagens explosivas que mostram discussões internas e atitudes altamente controversas, politizadas e legalmente duvidosas da força-tarefa da Lava Jato, coordenada pelo procurador renomado Deltan Dallagnol, em colaboração com o atual ministro da Justiça, Sergio Moro, celebrado a nível mundial.

Produzidas a partir de arquivos enormes e inéditos – incluindo mensagens privadas, gravações em áudio, vídeos, fotos, documentos judiciais e outros itens – enviados por uma fonte anônima, as reportagens revelam comportamentos antiéticos e transgressões que o Brasil e o mundo têm o direito de conhecer.

O jornalista Reinaldo Azevedo acabou de divulgar, em seu programa O É da Coisa, na Rádio Band News FM, um trecho inédito de conversa entre procuradores da Lava Jato. Essa conversa está relacionada a uma resposta que Moro deu ontem em seu depoimento na CCJ do Senado Federal.

Quando perguntado sobre o fato de ter orientado os procuradores em relação aos processos da Lava Jato, em especial o do ex-presidente Lula, Moro respondeu que suas colocações não surtiram efeito prático. As mensagens reveladas hoje mostram o contrário.

Nos primeiros vazamentos, Moro disse que não seria interessante que a procuradora Laura Tessler participasse da inquirição do ex-presidente:

Moro – 12:32:39. – Prezado, a colega Laura Tessler de vcs é excelente profissional, mas para inquirição em audiência, ela não vai muito bem. Desculpe dizer isso, mas com discrição, tente dar uns conselhos a ela, para o próprio bem dela. Um treinamento faria bem. Favor manter reservada essa mensagem.
Dallagnol – 12:42:34. – Ok, manterei sim, obrigado!

Conforme revelou Azevedo, os novos trechos mostram as conversas entre Dallagnol e Carlos Fernando para  alterar a escala da procuradoria. Resultado: Laura Tessler ficou de fora.

“Isso é gravíssimo. Existem as leis e existem os códigos. E essas revelações mostram que não houve o devido processo legal”, disse Reinaldo. A revelação é uma parceria de apuração do É da Coisa com o The Intercept Brasil.

O Ministério da Justiça mandou uma nota ao programa, minutos antes do término, dizendo não reconhecer o teor das mensagens e afirmando ser fruto de ato ilícito. Mais do mesmo.

Isso é o que diz Moro. Agora vamos aos fatos. Dezessete minutos depois de receber a mensagem do então juiz, Dallagnol passa a seguinte mensagem a seu colega Carlos Fernando:
12:42:34 Deltan Recebeu a msg do moro sobre a audiência tb?
13:09:44 Carlos Fernando Não. O que ele disse?
13:11:42 Deltan Não comenta com ninguém e me assegura que teu telegram não tá aberto aí no computador e que outras pessoas não estão vendo por aí, que falo
13:12:28 Deltan (Vc vai entender por que estou pedindo isso)
13:13:31 Carlos Fernando Ele está só para mim.
13:14:06 Carlos Fernando Depois, apagamos o conteúdo.
13:16:35 Deltan Prezado, a colega Laura Tessler de vcs é excelente profissional, mas para inquirição em audiência, ela não vai muito… –
Veja mais em https://reinaldoazevedo.blogosfera.uol.com.br/2019/06/20/inedito-o-que-disse-moro-a-senadores-e-o-que-fez-dallagnol-com-procuradora?cmpid=copiaecola


Com informações do Site Blog da Cidadania https://blogdacidadania.com.br/2019/06/vaza-jato-dallagnol-mudou-escala-de-procuradores-para-atender-moro/?fbclid=IwAR1l4Kwg6y_IJqUYGqEYE6cW4U8ql7icTsAQR_kPvRgee4FD1pO0SZtnViU

Os comentários não representam a opinião do Tribuna Mulungu. A responsabilidade é do autor da mensagem.

Veja também

Relacionado Posts