Paulo Afonso, 10 de agosto de 2022

Educação

Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) presta assessoria sobre merenda escolar

Nesta semana foi realizada uma reunião sobre o programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), no Auditório da Secretaria de Educação. No primeiro momento do encontro, que seguiu até esta sexta-feira (8), foi apresentada como está a realidade do município em relação a alimentação escolar. O processo será dividido em etapas, com a abertura inicial, visita nas unidades escolares e formação virtual.

“Essa reunião tem uma importância muito grande, porque nós estaremos recebendo assessoria técnica do Cecane/UFBA com orientações para melhoria da oferta da alimentação escolar no município. Acreditamos que será um momento de grande relevância para o município porque são orientações de um centro especializado que socializa experiências exitosas em outros municípios” diz a secretária de Educação, Elza Brito.

O encontro contou com a equipe do Centro Colaborador em Alimentação e Nutrição Escolar (CECANE), que é a assessoria da Universidade Federal da Bahia (UFBA), em parceria com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), o Secretário de Agricultura e Aquicultura, Jandirson Campos e equipe, as nutricionistas e o gerente do Núcleo da Merenda Escolar (NUMAE), Paulo, a gestão financeira da Seduc.

Um dos pontos abordados foi a compra dos produtos da agricultura familiar, ação que já é realizada pela Seduc, incentivando os produtores e auxiliando na geração de renda local. Dentre os alimentos adquiridos estão hortaliças e frutas e a Secretaria de Agricultura está capacitando os produtores de leite e mel para que possam também ser inseridos. “Esse é um momento muito importante para Paulo Afonso e para os produtores. Como temos grande produção de leite, nosso objetivo é incentivar o processamento para que possa ser ofertado na merenda escolar aumentando e qualificando a oferta de gêneros e, para tanto, estamos capacitando os produtores. Também estamos contatando os apicultores para inserir o mel e em breve teremos a casa de farinha do Bonomão legalizada. Então, diante disso tudo, objetivamos inserir o máximo de produtos da agricultura familiar na merenda, gerando ainda mais renda”, diz Jandirson.

A nutricionista da UFBA, Roseni França, elogiou o trabalho desenvolvido pela Seduc com a merenda escolar. “São pessoas bastante empenhadas e esforçadas dentro desse objetivo de melhorias da merenda escolar. O objetivo dessa visita é prestar apoio técnico operacional no contexto da alimentação escolar dentro do que for possível, porque a gente já viu que está bastante encaminhado, mas vamos avaliar, fazer visitas, olhar os documentos e orientar dentro do que podemos contribuir para melhorar ainda mais esse processo que está encaminhado. Paulo Afonso é o primeiro o município que estamos visitando, depois desse retorno às atividades presenciais”, diz.

A atividade aborda diversas ações, como visita ao Núcleo de Merenda e Alimentação Escolar (Numae); às escolas, com o propósito de observar in loco as condições de execução do PNAE; encontro com o setor de compras para conhecer o processo de aquisição dos gêneros alimentícios da licitação e chamada pública; aplicação do Formulário do CAE e Capacitação/Formação do CAE; visita às escolas e reunião final.

“Os critérios são pré-definidos pelo próprio órgão FNDE, que define anualmente quais são os municípios que precisam dessa assessoria mais próxima e a gente visita os municípios para entender como eles estão conseguindo de fato atingir esses critérios. Em Paulo Afonso a gente percebe que já tem essa organização, em relação a ter um selo de inspeção e isso favorece essa aquisição do gênero da agricultura familiar”, conclui a nutricionista também da UFBA, Karine Fiaias.

Os comentários não representam a opinião do Tribuna Mulungu. A responsabilidade é do autor da mensagem.

Veja também

Relacionado Posts