Paulo Afonso, 22 de maio de 2024

Artigos

O NOSSO LUGAR !!!

Nascemos predestinados a grandeza, às margens do grande Rio, marcando a sua unidade nacional e presteza à todos os ribeirinhos, cabe-nos lembrar que durante muito tempo foi caminho dos caixeiros viajantes, em lombo de animal à vender suas manufaturas, servindo principalmente para pouso de boiadas, garantia de sua sobrevivência.

Muito a frente da época de maneira visionária e futurista embalados pelo o desenvolvimento nacional, iniciou-se o aproveitamento hídrico concomitante a expansão industrial e o crescimento urbano das grandes cidades do Nordeste.

Símbolo de redenção, para aqui muitos vieram e constituíram famílias e embalados pelo sonho e esperança, resolveram permanecer, lutando pela autonomia, em emancipar-se ganhando vida própria, com esta característica, palmilhamos no caminho da liberdade fincando aqui as nossas raízes nordestina, em solo profundo, lajeado por rochas sedimentares, assim nos vemos em vida e em constante transformação.

Os paredões de arenitos, grutas e talhados pré Xingoanos, formam o grande canyon falando de uma natureza em mutação.

Aqueles que aqui nasceram e cresceram, junto a nossa querida Paulo Afonso, são uníssono em afirmarem: como és bela, como nos encanta, tão grande és por dentro e por fora, como nos enaltece aqui viver! Sejamos fiéis escudeiros, prontos sempre a defende-la, tamanho o sentimento que construímos ao interagir com a sua natureza pródiga.

Energia é a nossa marca, vinda das águas fluviais, de um sol escaldante, de seu povo hospitaleiro, orgulhoso e robustecido pela seiva da nordestinidade, segue em frente, assumindo a sua vocação turística em instituir uma indústria sem fumaça.

Paulo Afonso não é simplesmente uma cidade baiana, fronteiriça dos Estados de Pernambuco, Alagoas e Sergipe, o que nos separa, nos une, somos ponte que nos interliga pela própria história local e regional, que se abre para o mundo, que se agiganta ao margear o grande Rio São Francisco, com suas cachoeiras, um abismo que se precipita e corre serpenteando entre os grandes paredões do Canyon, gerando vida, testemunho e protagonismo de muitas histórias ribeirinhas.

Prof.Jose Maria de Souza , Escritor Esp.em História do Nordeste e Dirigente Escolar

Os comentários não representam a opinião do Tribuna Mulungu. A responsabilidade é do autor da mensagem.

Veja também

Relacionado Posts