Paulo Afonso, 23 de maio de 2022

Polícia

Homem e adolescente são acusados de marcar encontros por app para roubar e estrangular vítimas até a morte

A Polícia Civil do Rio Grande do Norte apontou um homem e um adolescente, 17, como os responsáveis por dois crimes aconteceram da mesma forma: A dupla marcava um encontro com as suas vítimas por meio de um aplicativo de relacionamento voltado ao público LGBTQIA+, as matavam estranguladas com fio e, em seguida, roubavam seus pertences.

A dupla foi capturada por equipes da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) na cidade de Mossoró, na segunda-feira (09), onde, segundo a Polícia Civil, confessaram o crime.

De acordo com o G1, a última vítima foi o fisioterapeuta e empresário Hardison Caio, de 29 anos, que estava desaparecido desde o último domingo (8) e foi achado morto na tarde de segunda-feira (9). O corpo estava em um matagal próximo a um loteamento no bairro Santa Delmira, onde o homem morava.

A versão dada pelos acusados à Polícia, de que eles seriam garotos de programa e usavam o aplicativo para ter esses encontros. “Devido um desentendimento no pagamento desse programa, teriam executado a vítima. Mas a delegacia, em decorrência já de outro homicídio no mês de abril, também de outro homossexual – Bruno Alisson, no bairro Barroca – que teve o mesmo modo de execução, por estrangulamento, e com produtos roubados, classificou como latrocínio”, diz o delegado Rafael Arraes, responsável pelo caso, que ainda afirma que os crimes foram premeditados.

Os comentários não representam a opinião do Tribuna Mulungu. A responsabilidade é do autor da mensagem.

Veja também

Relacionado Posts