Paulo Afonso, 3 de julho de 2022

Sem categoria

Dia Mundial de Combate a Violência Contra a Pessoa Idosa é marcado com atividades acerca do tema

Nesta quarta-feira (15), é o Dia Mundial de Combate a Violência Contra a Pessoa Idosa e em Paulo Afonso, a Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), realizou uma atividade com palestra em alusão a data.

O objetivo deste dia é sensibilizar a sociedade em prol do combate à violência contra esse público e a disseminação do entendimento da agressão como violação aos direitos humanos.

O evento, que aconteceu no Auditório da Escola Guiomar Pereira, contou com a presença do promotor Moacir; da secretária de Desenvolvimento Social, Cintia Rosena; da Delegada Mirela Santana; do presidente do Conselho Municipal do Idoso, Danilson; da coordenadora do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), Fabiana, além de servidores municipais.

Durante a sua fala, Cíntia ressaltou os serviços ofertados pela gestão para esse grupo, que somam 400 idosos, e a importância de ter órgãos de acolhimento. “Hoje na assistência nós temos o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) e o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), onde os idosos são assistidos por psicólogos, assistente social, onde a gente leva todo o nosso trabalho até eles. Tem o serviço de convivência onde eles têm as atividades físicas, são dois ou três dias na semana. Ontem teve o Arraiá dos Idosos que foi uma festa muito bonita, são em média 400 idosos que são assistidos pela Sedes”, ressalta.

Durante a palestra, foram abordados os tipos de violências feitas contra a pessoa idosa, destacando as seguintes: violência psicológica, sexual, física, negligência, abuso financeiro, violência patrimonial, discriminação. Os palestrantes falaram ainda sobre as outras formas que os idosos muitas vezes estão sujeitos devido a fragilidade e muitas vezes serem vítimas de familiares.

“Em relação ao município de Paulo Afonso, é importante dizer que há uma rede socioassistencial muito bem estruturada. São casos pontuais que a promotoria precisa judicializar porque observamos que há um esforço, especialmente da Secretaria de Assistência Social, no sentido de trazer uma resolução imediata para a situação dentro dos limites materiais que existe para a atuação; percebemos uma intenção, um interesse, uma vontade de resolver com a maior brevidade possível”, diz o promotor, Moacir.

Autor: Ascom/PMPA

Os comentários não representam a opinião do Tribuna Mulungu. A responsabilidade é do autor da mensagem.

Veja também

Relacionado Posts