Epopeia Pauloafonsina

Epopeia Pauloafonsina

Lugar de uma beleza encantadora
Gente de talentos, batalhadora
Paulo Afonso do meu sertão
Luz que alumia meu coração

Cantada em multiversos e poesia
De tantas canções é a melodia
Por imponente cachoeira parida
As verdes águas te deram vida

O rio São Francisco te quer bem
Da Igreja de pedras se ouve o amém
Filha desse Velho Chico teimoso
Viajante mineiro de passo majestoso

Força de um boi, audácia duma cobra
Foram marcas deixadas na tua obra
Marcou no bronze o talentoso cinzel
Contou bela história a tinta e o pincel

Caraibeiras frondosas te pintam de ouro
Ao som da cachoeira, forquilha, sumidouro
É de uma beleza por todos exaltada
Paisagem na terra por anjos pintada

Salve, salve o cassaco pauloafonsino
Homem forte, bravo, grande nordestino
Portador de uma esperança incrível
Com o martelo nos braços, invencível

E o poeta que a tudo contempla atento
Se pergunta de onde tirar o talento
Pra retratar com tamanha fidelidade
E declamar em versos tão bela cidade

Alex Xela Lima

Alex Xela Lima, ou Alexsandro de Lima Pereira, é baiano de Paulo Afonso, a Capital da Energia; Licenciado em Letras (Inglês-Português), pela Faculdade Sete de Setembro – FASETE, atua como   professor da rede municipal e estadual de ensino na Bahia; É escritor com um livro publicado, Cinquenta Tons de Poesia (2016), e vários textos em diversas Antologias poéticas; Considera o ato de escrever uma “nobre doença divina”, e se autodefine como “Só pó. Pó de Poesia”; É membro associado à União Brasileira de Escritores (UBE) – Núcleo Arapiraca-AL, e colunista do site Tribuna Mulungu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *