A verdade e as mariposas

A verdade e as mariposas

Por Emiliano José Colunista Tribuna Mulungu 12/06/2019 ás 08:00

Não é irônico assistir à mídia empresarial girando em torno de um site? 
Recebendo uma lição magistral do que seja jornalismo? 
Humilhada diante das verdades que lhe são jogadas na cara? 
Envergonhada diante da opinião pública? 
Obrigada a fazer uma mea culpa oblíqua?
O Estadão, olhem só, que a República de Curitiba nos áudios disse ser amigo leal, fazendo editorial pedindo que Moro se afaste, depois de nas primeiras horas querer criminalizar a atividade jornalística?
A Folha estupefata primeiro, assumindo as denúncias depois, recuando, avançando, envergonhada?
Rede Globo, bem, está totalmente no jogo da República de Curitiba, e só entra com jornalismo na 25ª hora.
Todos, num conluio obsceno, trabalharam para eleger o atual presidente. 
O Moro e o Dallagnol junto com a mídia, o primeiro para ser ministro.
Ninguém é inocente. 
Há algumas redes declaradamente mais bolsonaristas, mas ninguém se salva.
Todas todos na mídia empresarial queriam Bolsonaro.
E não querem achar o Queiroz.
Não querem.
Vai ser engraçado o Intercept apresentá-lo.
Que vai ser engraçado, lá isso vai.
Ele ou qualquer outro site.
A mídia empresarial vai ficando nua.
E não é uma nudez agradável. 
Única coisa agradável é vê-la às tontas girando em torno da luz, olhando para a verdade.
Sem poder comprometer-se com ela.
O jornalismo de verdade e da verdade só a visita quando interceptado por outro.
O Intercept vai continuar nos próximos dias a atrair e ofuscar as mariposas.
Lula e o Papa deram recados certos: a verdade sempre aparece.
Mais cedo ou mais tarde.
Apesar da mídia empresarial.

Emiliano José é professor, escritor e jornalista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *