Lembranças de uma pandemia

Lembranças de uma pandemia

Por Patrícia Santos- Publicado em 27/09/2020 às 13:49

Despertei saltitante naquele dia,  

Abracei meu pai bem apertado, 

Dei um beijo demorado em “mãeinha”. 

E como se do cárcere tivesse saído  

Abri a porta a dançar! 

Saudei com um “oi” cheio de sorriso 

Um gari que na rua estava a passar. 

Saí como criança a brincar, 

No rosto nada,  

Só a alegria do ar livre respirar. 

Cheguei à padaria, 

Desejando a todos um bom dia. 

Forte apertei a mão de dona Maria  

Que há muito tempo não via. 

Meus olhos lacrimejaram 

Vendo na criançada grande satisfação, 

Nunca tinha visto tanta euforia  

A caminho da escola até então, 

A vizinha cheia de curiosidade, 

Com a cara de interrogação 

 Minha alegria se pôs a questionar 

No momento fiquei atordoado  

Sem saber o que falar, 

Do pesadelo que tive fui lhe contar: 

De repente chegaram uns dias 

Dias de perdas, medos e solidão 

Dias estranhos, sem abraços e beijos 

Dias que uma pandemia parou o mundão! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *