“Foi muito triste e chocante o relato das menores”, diz delegada sobre meninas abusadas em PA; pai é o acusado

“Foi muito triste e chocante o relato das menores”, diz delegada sobre meninas abusadas em PA; pai é o acusado

Por Ivone Lima – Painel – Postado em 26/06/20

PAULO AFONSO – Agora, em entrevista à RBN, a delegada Juliana Fontes, em substituição na Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher, deu detalhes horripilantes de um caso em que um pai é acusado de abusar de suas filhas.

Inclusive, a autoridade informou ao repórter Thiago Nascimento que a prisão em flagrante do acusado foi convertida para prisão preventiva.

“Pai é para proteger, orientar, cuidar e jamais abusar, né, então as filhas iam quinzenalmente para a casa do pai, inclusive elas já haviam pedido para não ir mais, mas ele alegava que colocaria advogados, casos elas não fossem, desse modo a mãe se via obrigada a mandar as meninas passarem o final de semana com o pai”, conta Juliana.

A delegada então deu detalhes do flagrante asqueroso: “Um das meninas viu o exato momento em que a irmã estava sendo abusada e mandou uma mensagem para a mãe pedindo socorro: “mãe, tá acontecendo agora, socorro!”; a mãe estava longa e ligou para a avó das crianças que foi lá já com a Polícia Militar.”

Os detalhes indignantes 

Juliana disse que o acusado foi contra um relacionamento da ex-mulher com outro homem e alegou ter receio de que ele “abusasse de suas filhas.”

“O autor desse crime bárbaro teve prisão convertida em preventiva e já está no presídio. Nas oitivas delas, foi muito triste, um relato de medo, que me chocou e me tirou o sono daquela noite; uma acusação dessas, a violência pela qual passaram é lamentável. Ele pai sim, é pai biológico, e veja a ironia, quando ele separou-se da mãe, foi contra a que ela vivesse com outro rapaz, por medo de abuso com as filhas, olha que medo!”, disse a delegada à reportagem da RBN.

O acusado, no entanto, nega todas as acusações.

A delegada ainda chama atenção para um detalhe: na foto da irmã tem um lençol, mas quando a polícia chegou não encontrou nada que pudesse ser examinado como prova contra o pai. Ele também negou, segue informando a delegada, que houvesse lençol em casa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *